alívio

O poeta que  deu um murro

no irmão de deus

nunca mais descansou

até que deus se viu obrigado

a descer à terra só para lhe dizer

que não se preocupasse com esse murro

que deus bem gostaria de tê-lo dado.

O poeta aliviou assim a sua alma

por ter sabido que  afinal tinha cumprido

a vontade de deus.

Deixar uma resposta