worm

enquanto dorme
um minúsculo senhor dd
sonha-se enorme

e ao acordar, como se vê?

tão conforme
tão disforme

© adealmeida

recebo todos os dias uma mensagem do minúsculo senhor dd de título duas vezes maiúsculo “Enquanto Dormia” representando o minúsculo público de que é diretor a mando do dono do jornal (eu sou assinante do dito) e talvez do minúsculo senhor jmf.
ainda não conseguir saber se o título se refere a assuntos que aconteciam enquanto eu dormia e ele se mantinha em vigília para que nada me pudessse acontecer e nada me escapasse ou a pensamentos que caíam na secretária do director ou na mente de dd enqanto ele dormia na ignorância das coisas que poderiam criar nele alguma inquietação.

numa das últimas mensagens electrónicas ele escreve-me:

“Os portugueses querem mais Estado Social, mas não o querem pagar. Muito a propósito, a Liliana Valente teve acesso a um estudo que revela que a crise fez aumentar a vontade dos portugueses de terem uma maior intervenção do Estado – uma verdadeira viragem à esquerda, se falarmos em termos políticos.”

mas discordo dele (e quem me dera que haja uma viragem à esquerda!) e acho que ele não quer saber que qualquer estudo de agora, enquanto esta crise se desenvolve (não, não sei se se resolve) envolvendo um grande número de portugueses só pode tirar como conclusão que se quer mais estado social

(e isso, porque a situação social não chegou a agravar-se tanto como os psdpafcds (e o dd e os seus) previram e quiseram até um estado antisocial e a inevitável sociedade civil assistencialista
– bancos alimentares, refeitórios, cantinas sociais –
e em vez de clamarem por mais estado social, pedissem pelo amor a deus que os protegessem e lhes enviassem do céu alimentos (é o modelo mais corrente nestes tempos de guerra)

e não se queira pagar o estado social e isso porque os portugueses não são todos parvos e a maioria sabe que o estado social foi assaltado por quem provocou a crise, por bancos e banqueiros, por patrões de dd que têm sede na holanda e sede e fome em portugal onde comem tudo, corruptores e corrompidos, milionários que inventaram canos para esgotar povos trabalhadores dos equivalente do trabalho, dos seus recursos, … e dão diretamente para paraísos fiscais

e começa a saber que o estado social tem ou pode accionar mecanismos para pescar estes tubarões selvagens no mar do capitalismo selvagem

e, fazê-los passear de oceano em oceano, de piscina em piscina, de prisão em prisão, de reformatório em reformatório, de escola em escola (todas sem bancos)… até pelas unidades de tratamento de bivalves onde serão depurados

e separados dos bens que adquiriram de forma criminosa, mesmo quando foram predadores na forma de pessoas comuns que eu quero que se lixem……

que a boa educação deles é (como ) a luva que calça o ladrão…..
ou a folha de excel ência dos que roubam tanto que se transformam em protectores dos povos, fundadores de caridosas fundações, etc

e fazer de tal modo que pareça, mesmo usando os veículos e canalizações deles) que tudo o que foi roubado seja devolvido ao roubado como deve ser e de tal modo que se possa dizer que o estado social é estado de direito e de justiça social que alimente todos os seus cidadãos neles incluídos os crimilionárionosos.

e nem seja preciso prender carneiros e bodes, sicários e testas de ferro, ideólogos e propagandistas de uma via única que faz depender a organização da sociedade da existência de milhões de pobres humanos para alimentar com ouro o círculo da ganância constituído por carrascos que tentam passar por pilares mundanos do mundo humano. E não, não é a ganância que dá valor às coisas humanas.
e, radicalmente: o exercício da ganância não cria mundanos.

Deixar uma resposta